5º Dia - 15/10/2014

Mendoza/AR – Santiago/CH ( Paso Los Libertadores): 360 Km

 

A quilometragem foi pouca, em compensação as paisagens, inúmeras de tirar o fôlego! Sem sombra de dúvidas esse é um caminhos mais bonitos que já vi, e por si só já valem a viagem!

Saímos tarde de Mendoza, por volta de 10h, aproveitamos para encher o tanque no único YPF da Argentina que aceita cartão e seguimos para Ruta 7, que atravessa a Cordilheira dos Andes pelo lado Argentino, e que também passa pela Puente del Inca e Parque Nacional do Aconcágua, afff, quantas belezas naturais!!! 




Logo no começo da viagem já tivemos parada para fotos, o cenário foi incrível, bela despedida! Em seguida, o “Embalse de Potrerillos”, que é um lago artificial, construído para produzir energia e irrigar as plantações, ele tem 12 km de comprimento, 3 km de largura e águas muito azuis! E assim foi se seguindo a viagem, túneis, cordilheira, neve, vales.... e o asfalto excelente, alguns trechos com pista dupla!
Despedida de Mendoza
Embalse de Potrerillos
Chegamos a Puente del Inca por volta das 14h. A ponte é bem interessante, ela é natural, e possui um tom alaranjado, fruto das águas sulfurosas do rio. Era usada para travessia dos Incas, mas hoje em dia é fechada e usada somente para o turismo! Lá existem alguns restaurantes, onde comemos um delicioso filé napolitano. 
Puente del Inca
Poucos km à frente encontra-se o Parque Nacional do Aconcágua. É possível fazer visitação, e é muito lindo, chega-se a 3.000 metros de altitude, no passeio simples. Estacione o carro logo na entrada do parque e compre ingressos no Centro de Visitantes, ao lado do estacionamento. Eu não sei os preços, o dia que fomos era grátis. A partir daí tem uma subida de uns 500 metros e depois mais 2 km contornado as lagunas, rios e mirantes do Aconcaguá, vale muito a caminhada, mas prepare-se é frio e tem muito vento. 



Muito próximo encontra-se fronteira com o Chile, que foi muito tranquila, porém um pouco confusa. Você estaciona o carro dentro do galpão e te mandam para outra sala, onde tem vários guichês, bom daí você fica perdido, pois são vários de todos os lados! Só pedindo informação, ou olhando a maior fila, provavelmente está será a sua!!! heheeh São 4 passos, 2 de saída da Argentina, e mais 2 para entrada no Chile, dois deles somente para registro do veículo. Depois de feita a papelada volta-se ao galpão onde fiscalizam o carro por dentro, nem mexeram em nada, olharam por cima, pediram o que levávamos e nos liberaram tranquilamente. Tínhamos erva mate, declaramos e entramos sem problemas, inclusive com pacote abertos.

A partir daí começa a Ruta 60 (Chilena) e logo à frente encontram-se os Caracoles Chilenos, a famosa estrada cheia de curvas, apesar de assustar no começo devido ao número de caminhões, em baixa velocidade ela é bem tranquila! Até chegar a Santiago as paisagens continuam muito lindas, pequenos vilarejos espremidos entre a cordilheira e os vales, e muitos vinhedos.
Chegamos a Santiago já era escuro e o GPS não funcionou, por erro humano, heheh. No meu GPS a cidade que se deve colocar é o bairro, cidade Santiago corresponde apenas a região central, se for bairro como Las Condes ou Providência deves tentar colocar como cidade, mas isso só descobrimos uns 2 dias depois!!! Fomos guiados pelas placas e chegamos ao Bairro Las Condes (onde ficava nosso hotel), depois consegui fazer o GPS do celular funcionar e localizamos o hotel, um pouco trabalhoso, mas deu certo! 



 

Postagens mais visitadas deste blog

Porto Alegre – Mendoza – Santiago – Deserto do Atacama – DE CARRO!

Patagônia de carro!

Torres del Paine