Experiência com a altitude!

Conforme havia prometido no decorrer do blog, vou descrever um pouco sobre nossa experiência com a altitude, que chegou até 4.800 metros. 
Nosso primeiro contato com a altitude foi a travessia da Cordilheira dos Andes, da Argentina para o Chile, no Paso del Libertador, nesse momento chegamos até 3.200 de altitude. O ponto mais alto da travessia, para variar, também é o mais legal, onde fica o Parque Provincial Aconcágua, lá se tem a possibilidade de fazer alguns trekkings, ou até mesmo uma curta caminhada de 2 km ao pé do Aconcágua. Nós fizemos a subida de 2 km, tranquilos, sem sentir nada! O problema começou no outro dia, o que é normal!
Meu esposo ficou com muita dor de cabeça, começou a esquecer os objetos nos locais, tipo o troco, o cartão de crédito e muita dor de cabeça, tanto que voltamos no meio da tarde para o hotel! Mas até o momento não tínhamos pensado que poderia ser da altitude, tratamos com ibuprofeno e paracetamol! À noite passou muito mal, disse que chamava-me, porém eu não ouvi nada, disse que tentava abrir a mala e não conseguia....sinais típicos do mal da altitude, sintomas como se estivesse bêbado. No dia seguinte acordou bem! E, somente nesse momento que nos demos conta da altitude que havíamos chego e que tudo teria sido consequência disto! Afinal não tomamos qualquer cuidado no dia anterior ao da altitude, bebemos vinho o dia todo em Mendoza, e antes de subir ao Aconcágua almoçamos carne vermelha!!!! Tudo o que não devia!!!
Nesse mesmo dia, que me marido acordou bem, já subimos ao Vale Nevado e chegamos outra vez aos 3.000 metros de altitude, porém desta vez nada aconteceu!
Em San Pedro do Atacama a altitude é média, 2.500 metros, e, a maioria das pessoas não sente nada, somente quando se faz os passeios e se eleva a altitude que os problemas começam! Recomendo fortemente fazer os passeios mais baixos primeiro e deixar Gêiseres del Tatio por último! E ser for fazer o Salar de Tara, este por último! Em qualquer agência de turismo eles vão lhe dar essa orientação! 
Sim, nós tomamos Diamox, remédio para auxiliar a aclimatação, já um dia antes de chegar em SPA, principalmente depois do susto que tivemos nas cordilheiras!!! Também por precaução e medo de faltar atendimento médico em SPA levei todos os medicamentos indicados, que pude encontrar na internet, inclusive injetáveis, para edema cerebral e edema pulmonar, possíveis evoluções do mal da altitude. 
Os passeios fizemos todos com nosso carro, e assim pudemos controlar a velocidade de subida e descida, o grande problema dos passeios é que os motoristas andam muito rápido, e aí que vem a dor de cabeça, da mudança brusca de altitude. 
Porém, tendo cuidados com alimentação e aclimatação não tivemos mais nenhum problema!
Minhas recomendações: 
  • Tome meio comprimido de Diamox, um dia antes de chegar em SPA, e mais meio por dia, nos três primeiros dias. (Não vendem mais Diamox 125 mg, somente 250g, por isso, meio comprimido.) 
  • Não corra, não faça movimentos bruscos, tenha calma.
  • Não coma carne vermelha, principalmente nos dias que for fazer passeios de grande altitude e nos dias aclimatação. Aliás, coma pouco, e devagar, a digestão é prejudicada. 
  • Não beba álcool. 
  • Tome muito chá de folhas de coca, sim, é ótimo para altitude! 
  • Beba muita água! 
  • Se estiver de carro, e fizer os passeios por conta própria, ande devagar, em torno de 60 km/h, principalmente quando for para as Lagunas Altiplanicas e Gêiseres del Tátio.
  • Caso tenha algum problema de saúde, procure seu médico antes da viagem.
Tome cuidados simples e o Deserto do Atacama é só alegria! 
 

Postagens mais visitadas deste blog

Porto Alegre – Mendoza – Santiago – Deserto do Atacama – DE CARRO!

Patagônia de carro!

Torres del Paine