Tulipas em Trevelin

5º dia - 15/10/2015 (continuação)  Trevelin: As Tulipas


Lindo caminho de Bariloche até El Bolsón, onde pegamos umas empanadas de almoço, já que o dia estava corrido.
Chegamos em Esquel e saímos da Ruta 40, entrando em direção à cidade, onde fomos parados pela Polícia Caminera, pediram todos os documentos e fizeram várias anotações, nós gelamos!!! Porém nos devolveram tudo e mandaram seguir. Ufa!
De Esquel a Trevelin são 23km em rodovia asfaltada. Não sabia como chegar até os canteiros de tulipas, tinha lido que existe um centro de informações ao turista, que fica na praça central, muito fácil de achar. Fomos lá e pegamos um mapa e as orientações.
Dali seguimos por uma estrada de rípio por uns 15km, estrada larga e em bom estado, mas, mesmo assim, os Argentinos, teimam em passar colado em você! Eu sempre apertava o para-brisas com medo que alguma pedra voasse a trincasse nosso vidro! Sei lá se isso funciona, tinha lido, e no nosso caso, deu certo. O caminho até as tulipas é lindo, ladeando a Cordilheira dos Andes. 







Quando chegamos lá quase não me continha de ansiedade, queria muito vê-las! É uma propriedade rural simples, uma casa onde as mesmas pessoas que cuidam dos canteiros te cobram um ingresso, não lembro exatamente quanto foi, mas foi barato, acho que 20 pesos. Tinham várias pessoas lá turistando, assim como nós! 
 E eu amei! Curti um monte pulando entre os canteiros coloridos, em um lindo dia de sol! 
 






 


Depois de uma hora tirando muitas fotos, de todos os jeitos me dei por satisfeita, e começamos o retorno, ainda queríamos chegar até Ryo Maio, era mais 435km, e já se passava das 17h. Em Esquel abastecemos e compramos mais sanduíches no YPF.
Passamos por Tecka, um pequeno povoado, que nos chamou a atenção! As Casas pareciam ser iguais, como se fossem todos funcionários de uma mesma empresa. 
E logo após chegamos em Gobernador Costa, já era por volta de 20h, estava escurecendo, e ficamos com medo de seguir viagem à noite até Rio Mayo, com isso, acabamos procurando um hotel por ali, o único da cidade, Hotel Roca, nos pareceu viável, e ficamos. Tivemos a pior noite de sono da nossa viagem! A cama era horrível, o colchão tinha um buraco enorme, o banho só funcionava a torneira embaixo, a ducha não saia água quente. Fazia muito frio e tinha poucas cobertas! A única coisa boa do hotel foi o jantar, comemos sorrentinos caseiros muitos bons. O café da manhã, pago a parte, era uma lástima, somente um pão com manteiga ou geleia e café com leite, meu esposo ficou muito bravo, que não puderam fazer ao menos um ovo mexido!




Postagens mais visitadas deste blog

Porto Alegre – Mendoza – Santiago – Deserto do Atacama – DE CARRO!

Patagônia de carro!

Torres del Paine