Iruya - Eu fui!



7º dia - 06/11/16 - Tilcara a Iruya: 230 km


Tilcara é uma cidade incrível! Toda pequena, com ruelas apertadas, muitas pessoas na rua, muitas construções de adobe, muita cor! À noite, o movimento aumenta e a cidade está sempre animada! Não espere luxo, a cidade está mais para rústica charmosa, mas tem ótimos restaurantes e hospedagens! Jantamos nos restaurante El Nuevo Progresso 1917 , e, é maravilhoso!

Tilcara


Posada Don Juan


Essa era o dia programado para ir à Iruya - um povoado encravado no pé de uma montanha, à 2.780m de altitude e pelo menos 70km distante de quaisquer recursos! Vou confessar, estava um pouco ansiosa! 

Saímos pela Ruta 9, direção norte, passando Humahuaca e pelo Trópico de Capricórnio, sim, tem um monumento para identificar onde a linha imaginária passa por lá. Andamos por 70km, quando chegamos na saída para Ruta 13, que vai até Iruya. Tinha lido indicações para não seguir na primeira entrada para Ruta 13, e sim seguir mais 500m e entrar na segunda opção, dizem que a estrada é melhor, eu não fiz a primeira então não posso opinar..... mas por falar em estrada melhor ou pior acho que não faria diferença alguma, a estrada é toda ruim! 

Ruta 09




Desde a entrada para Ruta 13 até Iruya são mais 47 km do mais puro rípio argentino. No caminho cruza-se por alguns povoados, como Iturbe, e várias crianças pela estrada pedindo doces, bolachas e até refrigerantes! 

Nossa, se meu carro não fosse adventure não sei se teria coragem de ter colocado naquelas estradas, muito rípio, buraco, estrada estreita, penhascos, muitas subidas e descidas.... afffe haja coração! Cada carro que cruzava por nós era um frio na barriga! E olha não são poucos os corajosos, tinha bastante movimento! 
Quanto mais andava, mais eu pensava: como esse povo foi parar lá? Como que eles vivem tão longe do mundo! 







Enfim que depois de várias horas, umas 3h e pouco chegamos em Iruya, e tirando o cartão postal da cidade, a foto de frente para a igreja o restante da cidade não me agradou muito. Aproveitamos para almoçar por lá, era passada das 14h e com muita dificuldade achamos um lugar aberto para comer, mas que era bem ajeitado e acabei gostando da experiência! 
Ah, sem esquecer: Na entrada na cidade tem um rio, e não tem ponte... quando fomos ele estava seco, mas bom pesquisar antes de ir, caso contrário não conseguirá entrar de carro! Já li relatos de pessoas  que conseguiram um carona de trator! 
















Quer ir de ônibus? Pode!


A volta acabou ficando muito cansativa, a mesma paisagem com os mesmos perigos! 











Bom, nem sei como resumir, posso dizer que foi uma experiência! As paisagens são lindas, um estradão sem fim, parece loucura, a gente anda, anda e não chega nunca! 
Mas não sai da minha cabeça, como esse povo foi parar lá, tão longe de tudo, como vivem lá?! Nossa, foi uma experiência! 


Postagens mais visitadas deste blog

Porto Alegre – Mendoza – Santiago – Deserto do Atacama – DE CARRO!

Patagônia de carro!

Torres del Paine